Cidade do México, o coração da América Latina

Segundo a lenda, os astecas viviam em uma cidade menor e precisavam achar um local para fundar sua capital. Mas, segundo uma profecia do deus da guerra Huitzilopochtli, o local só seria o correto caso eles achassem uma águia com uma serpente no bico, pousada sobre um cacto… numa ilha… no meio do Lago Texcoco.

Um lago não era o lugar mais propício para fundar a capital de um império, mas quem disse que isso os impediria? Com profecia não se brinca. Ergueram diques para controlar o nível da água, construíram ilhas artificiais e canais comunicando uma parte a outra da cidade. Fundaram Tenochtitlán (hoje, Cidade do México) naquele mesmo local.

Com a chegada dos espanhóis, os diques foram destruídos, o lago foi aterrado e drenado. Dos canais originais hoje só restam os de Xochimilco, umas das grandes atrações turísticas da cidade.

Praças gigantescas foram construídas, grandes edifícios coloniais foram erguidos e muito da mistura que forma a Cidade do México surgiu do choque no encontro das duas civilizações.

Hoje a Cidade do México é vibrante, com prédios modernos ao lado de ruínas pré-colombianas, avenidas largas, modernas e um ótimo sistema de transporte urbano convivendo com um sistema de canais que sobreviveu por séculos após o desembarque dos europeus.

A Cidade do México é o melhor lugar do continente para entender o passado e o presente da América Latina.

Existem coisas que você só encontra na Cidade do México. Às vezes é difícil de acreditar em tamanha diversidade numa cidade só. Na capital mexicana é possível entrar em edifícios espanhóis e bem ao lado, visitar ruínas astecas, assim, no meio do caos da cidade grande. Também é possível caminhar por parques tão grandes quanto o Central Park de Nova York e no mesmo dia pegar um barquinho e navegar por canais como os de Veneza.

O senso comum faz com que ao pensar em México se imagine suas praias e ruínas maias, mas o país é muito mais do que isso.

Para quem chega sem saber o que fazer na Cidade do México, abaixo estão as principais atrações a serem percorridas por um turista de primeira viagem:

Centro Histórico e Zócalo

O Zócalo é o coração da capital mexicana. Lembra da lenda asteca da águia? Então, foi exatamente neste o local onde ela foi avistada e onde o Império fez sua capital.

É pelo Zócalo que os turistas começam a se orientar na cidade e a montar seu roteiro ao planejar o que fazer na Cidade do México. Os arredores da praça têm boas opções de hotéis e albergues, facilitando que os turistas se orientem numa cidade tão grande.

O local é a maior praça da cidade e a quarta maior praça do mundo. E realmente, é gigantesca.

Ao redor da praça ficam os principais prédios históricos da Cidade do México, sendo os mais importantes deles a Catedral Metropolitana e o Palácio Nacional, ambos abertos a visitas.

Templo Mayor

Logo ao lado do Zócalo fica o Templo Mayor, um dos templos mais importantes do Império Asteca. Ali eram cultuados dois deuses distintos: Huitzilopochtli, o deus da guerra (e o que deu direções de onde fundar a capital Tenochtitlán); e Tlaloc, o deus da chuva e da agricultura. No local existia uma enorme pirâmide com dois templos em seu topo, um para cada deus.

O Templo Mayor começou a ser construído no século XIV e foi destruído pelos espanhóis em 1521. Hoje, é possível ver suas incríveis ruínas espalhadas pela região, e também visitar o museu que abriga grande parte dos objetos recuperados nas escavações.

Palácio de Belas Artes

O Palácio de Belas Artes é o teatro mais importante da Cidade do México, recebendo óperas e sinfonias de todas as partes do mundo. Mas o que mais atrai os turistas até lá são os murais de Diego Rivera que decoram várias paredes do interior.

O palácio também abriga dois museus, o Museu do Palácio de Belas Artes e o Museu da Arquitetura.

Bosque de Chapultepec

O Bosque de Chapultepec é um oasis dentro da imensa Cidade do México. Um parque tão grande que nos esquecemos que estamos em tal metrópole. Ótimo para relaxar, tomar um sorvete e apreciar a vida.

Dentro dele se encontram atrações como o Zoológico, o Museu de Arte Moderna e o Castelo de Chapultepec – a residência do vice-rei do Vice-Reino da Nova Espanha (nome dado à área de controle espanhol que ia do estado americano da Louisiana até a Costa Rica).

No centro do bosque fica a Colina do Chapolin, um tipo de gafanhoto local. Caso você esteja pensando na relação do gafanhoto com o Chapolin Colorado, é só observar suas antenas de vinil e o formato de sua camisa vermelha.

Museu Nacional de Antropologia

O Museu Nacional de Antropologia é uma das melhores atrações da Cidade do México. Imenso, fica dentro do Bosque de Chapultepec, com uma arquitetura impressionante de verdade. Lá estão expostos os maiores artefatos da cultura pré-colombiana do México, com estátuas raríssimas e entre elas, a famosa Pedra do Sol.

O museu por si só, para ser visto em detalhes, toma um dia inteiro, diante de tantas obras e exposições muito bem montadas. Mas além dos elementos expostos nos salões de seus edificios, o museu apresenta ainda em seus jardins alguns templos pequenos que foram transferidos para o local. É uma atração única, imprescindível e completamente diferente de tudo no mundo.

Museu Frida Kahlo

A artista nasceu, viveu e morreu na Cidade do México, no local conhecido como Casa Azul, hoje Museu Frida Kahlo, uma das maiores atrações da cidade.

O museu fica no descolado bairro de Coyoacán, uma área nobre na zona sul da Cidade do México. É um bairro repleto de restaurantes da moda e lojas de grife. A estação de metrô que leva o nome do bairro funciona junto a um enorme shopping center. De lá, com boa vontade, é possível ir caminhando por 15/20 minutos até o museu.

Dentro da casa é possível ver o local onde a artista pintava, com suas tintas e cavaletes ali, intactos. Seu quarto, com frases escritas pela própria Frida nas paredes, ainda se encontra lá. A cozinha provavelmente é um dos locais mais legais e bonitos, com cores vibrantes como as de suas obras. Quadros inacabados e alguns desconhecidos também são vistos no museu.

A visita é uma atração cara para o padrão da Cidade do México, pois, além da entrada é preciso pagar caso queira usar a câmera fotográfica. Além disso, ainda estão espalhados pelo local várias caixas para doações.

Basílica de Guadalupe

A Basílica de Guadalupe é a igreja mais importante do México e o principal templo católico nas Américas. É a segunda igreja mais visitada do mundo, ficando atrás somente da Basílica de São Pedro, em Roma.

A lenda da virgem de Guadalupe diz que a Virgem Maria teria aparecido no século XVI ao índio Juan Diego (este o primeiro santo indígena da Igreja Católica) e pedido para que ele se apresentasse ao bispo do México para mandar erguer ali uma igreja em honra a ela. No caminho até o bispo, Juan Diego colheu várias flores e as carregou em seu manto. Ao encontrar o bispo, seu manto se desenrolou e nele estava pintada a imagem da Virgem de Guadalupe. Hoje este manto está exposto na Basílica e muitos fiéis vão até lá atrás de milagres.

Como o México é uma das nações mais religiosas do mundo, vale a visita para ver a fé dos mexicanos de todas as partes do país, e ainda visitar uma das igrejas mais importantes do mundo.

Xochimilco

A atração consiste em alugar uma trajinera (os coloridos barcos típicos do local) por algumas horas e navegar pelos vários canais da região. Por estas caracteristicas o local é chamado de Veneza mexicana, pois as ruas se tornam rios e o turista vai vendo a vida passar enquanto um remador leva a embarcação. No caminho, muitas vezes, barcos cheios de seresteiros passam para oferecer canções aos turistas dos barcos vizinhos.

Além do passeio pelos canais, muitas ilhotas podem ser visitadas também. A mais curiosa delas é a Isla de las Muñecas, uma ilha repleta de bonecas abandonadas e penduradas nas árvores pelo antigo dono do lugar, que acreditava que dessa forma afugentaria o espírito de uma menina que havia morrido afogada ali. Meio macabro, mas uma atração que recebe cada vez mais turistas.

Teotihuacán

Teotihuacán não fica dentro da Cidade do México, mas a melhor forma de chegar até lá usando a capital mexicana como base.
É o sítio arqueológico mais visitado do México. O sítio arqueológico é tão grandioso que dá certo arrepio só de andar por aquelas terras milenares.

Dentro dele, a Pirâmide do Sol é a maior atração. Terceira maior pirâmide do mundo, poder subir até seu topo é sensacional, dando vistas preciosas de todo o Vale do México.

Além das ruínas, no final do passeio Teotihuacán ainda apresenta um museu, com alguns artefatos resgatados do local, e uma enorme maquete que explica perfeitamente como era Teotihuacán em seus tempos áureos.

É procedente assinalar que a informação foi facilitada por Vida Cigana. Edição, Área Jornalística Oitravels.

IMG_20200528_113859

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: