Reino Unido, viagem cheia de história e cultura

Viajar para o Reino Unido é aquele tipo de viagem absolutamente mágica, que vai ficar gravada na sua memória pelo resto da sua vida. Esta região é uma das mais magnificas, esplêndidas e fantásticas da Europa.

É muito comum que viajantes com destino ao Reino Unido limitem seus passeios à capital Londres. Não é para menos. Lá estão os melhores museus do país, como os obrigatórios National Gallery e Museu Britânico, assim como o mais famoso palácio da rainha, Buckingham, e a torre do Big Ben. Pode-se passar tranquilamente uma semana na cidade e ainda faltar tempo para explorar todos seus cantos.

Mas isso seria o equivalente a dizer que “conhece” a Argentina e só ter ido a Buenos Aires, ou os Estados Unidos tendo passado somente por Nova York.

Espalhados pelo pequeno território das ilhas britânicas estão paisagens ímpares e histórias que combinam seu mirabolante recorte antropológico: celtas, romanos, vikings e tribos teutônicas. No caminho para os mistérios de Stonehenge estão pistas da passagem das legiões de Roma. Não muito longe da rude e bela natureza da ilha de Skye acontece a cada verão um dos mais fervilhantes manifestos culturais da Europa atual, o Festival de Edimburgo. E nada como apreciar a excelência acadêmica de Oxford após passar por Man, onde os ilhéus lutam para manter sua identidade e idioma.

Conheça aqui alguns dos grandes passeios e destinos do Reino Unido a partir de Londres, passando pelos quatro países que o formam: Inglaterra, Escócia, Irlanda do Norte e País de Gales.

1. Stonehenge, Inglaterra

lon1

O pequeno arranjo circular de rochas sobre um amplo descampado pode desapontar alguns turistas que aqui chegam. Mas, seja no solstício de verão europeu – quando atrai milhares de neo-druidas e hippies – ou durante todo o resto do ano, Stonehenge, próxima à histórica Salisbury, sobressai-se por seus mistérios. Monolitos de até 50 toneladas, escavados em pedreiras distantes mais de 400 quilômetros, foram arranjados em dois círculos concêntricos cerca de quatro mil anos atrás. Sua função? Nem os estudiosos conseguem afirmar com certeza. Seu legado? Mistérios que alimentam a imaginação do homem e desafiam os historiadores. Distância de Londres: 150 quilômetros.

2. Giants Causeway, Irlanda do Norte, Reino Unido

lon2

Os 40 mil blocos de basalto que cobrem o litoral da Irlanda do Norte formam uma das paisagens mais curiosas do planeta. É tudo tão intrigante que não parecem ser uma formação natural. Coberta de lendas e histórias, este teria sido o domínio de Finn MacCool, gigante protetor do rei da Irlanda, que talhou o litoral a pancadas. Uma versão menos romântica aponta para fortes atividades vulcânicas a cerca de 50-60 milhões de anos como a origem mais provável da mais popular atração turística da região. Distância de Londres: 1h20 de avião até Belfast, com AerLingus, Flybe, British Airways e EasyJet e, de lá, mais 100 quilômetros via terrestre.

3. Ilha de Skye, Escócia

lon3

A chuva cai pesadamente sobre a rústica paisagem da ilha escocesa. O céu é cinza e o vento sopra miseravelmente. Então, do nada, uma fresta abre-se entre as nuvens, deixando escapar um raio de sol que ilumina gloriosamente a relva que cobre as montanhas. Skye é isso: lampejos de cores e alegria em um clima magneticamente inclemente. Distância de Londres: 970 quilômetros.

4. Castelo de Caernarfon, País de Gales

lon4

O rei Eduardo I, Longshanks, não entrou para a história por sua graça e simpatia. Durante boa parte da segunda metade do século 13 ele imprimiu uma feroz política expansionista sobre os vizinhos Escócia e País de Gales que até hoje são combustível para ferozes conversas de pub. Assim que definia seu domínio sobre suas novas conquistas, assegurava-as construindo fortalezas tão inexpugnáveis como majestosas. Com uma arquitetura bélica primorosa, ele queria mostrar quem era o novo senhor do pedaço.

A linha defensiva formada pelos castelos de Caernarfon, Conwy, Harlech e Beaumaris, à sombra do Parque Nacional de Snowdonia, é listada em conjunto como Patrimônio da Humanidade pela Unesco e marco definitivo deste período. Curiosidade: o título de Príncipe de Gales, tal como o conhecemos hoje (o de príncipe-herdeiro do trono inglês), foi inaugurado pelo filho de Longshanks, o fraco Eduardo II. Distância de Londres: 450 quilômetros.

5. Ann Hathaway Cottage, Stratford-upon-avon, Inglaterra

lon5

Quase tudo em Stratford-upon-Avon gira em torno de histórias referentes ao Bardo. Aqui está a casa onde teria nascido William Shakespeare, ícone maior do drama e teatro em língua inglesa, assim como a sede da prestigiada Royal Shakespeare Company. Os edifícios em estilo Tudor e a Casa de Ann Hathaway (foto), esposa do poeta, estão entre as principais atrações da região. Distância de Londres: 150 quilômetros.

6. Cornuália, Inglaterra

lon6

O nome em português não faz jus às belezas de Cornwall. Um dos domínios originais do Príncipe de Gales – que, entre outros títulos, é conhecido como Duque da Cornuália –, a região possui recortes dramáticos em seu litoral, com muitas praias e enseadas. O Castelo de Tintagel é considerado o berço do lendário Rei Arthur e contos referentes aos cavaleiros da Távola Redonda. Suas profundas raízes celtas e a quase extinta língua córnica – falada apenas por algumas centenas de pessoas – formam um identidade cultural um tanto distinta do resto do Reino Unido. Distância de Londres: 400 quilômetros.

7. Oxford, Inglaterra

lon7

Cidade universitária mais antiga do Reino Unido, Oxford detém, juntamente com a “rival” Cambridge, a estampa de excelência e pedigree acadêmicos tão apreciados pelos britânicos. Edifícios históricos como o Christ Church, a Biblioteca Bodleian e o Museu Ashmolean são algumas das atrações locais. O melhor mesmo, no entanto, é pegar uma bicicleta e se perder pelas ruas estreitas da cidade. Distância de Londres: 100 quilômetros.

8. Saint Andrews, Escócia

lon8

Em poucos esportes a natureza tem um papel tão marcante como no golfe. Saint Andrews, na Escócia, é o berço da modalidade e local onde esta relação ganha tons dramáticos. O vento fustiga a relva, respingos parecem vir do mar cinzento. Se quiser dar suas tacadas em greens tão sagrados como a grama de Wimbledon ou o campo de Wembley, este é o lugar. Distância de Londres: 750 quilômetros.

9. Ilha de Man

lon9

Para começar, esta pequena ilha entre a Irlanda e a Grã-Bretanha tecnicamente não faz parte do Reino Unido. A semi-extinta língua manesa – de origem gaélica – e a independência em várias frentes lhe conferem um status todo próprio, mas, tendo a Rainha Elizabeth II como sua chefe de estado e adotando o God Save the Queen como seu hino, Man é um destino óbvio só para quem visita o Reino Unido.

Suas famosas corridas de motocicletas e sua paisagem rural cheia de caráter são suas principais atrações. Curiosidade: a fictícia ilha de Sodor, da série infantil Thomas e Seus Amigos, utiliza várias referências à Man, incluindo um idioma que, como o manês, está praticamente extinto. Distância de Londres: 1h20 em voos com FlyBe e British Airways.

10. Festival de Edimburgo, Escócia

lon10

O mais importante festival cultural europeu toma de assalto Edimburgo no auge do verão europeu. São dezenas de eventos culturais, para todos os gostos: teatro, cinema, música, fotografia, dança, mágica e artes plásticas. De artistas consagrados a algumas boas atrações gratuitas, este é o ponto alto do calendário escocês. Distância de Londres: 630 quilômetros

11. Bath, Inglaterra

lon11

As antigas termas romanas de Aquae Sulis e os edifícios da era georgiana conferem um ar todo aristocrático e exclusivo ao balneário de Bath (banho, em inglês). Palco de grandes festas do círculo real e lançadora de modas no século 18, hoje atrai turistas atrás dos atributos que lhe conferiram o título de Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Distância de Londres: 185 quilômetros.

12. Liverpool, Inglaterra

lon12

A primeira coisa que vem à mente quando o nome Liverpool é mencionado tem que ser mesmo os Fab Four. Mas as atrações de um dos portos mercantes mais importantes do século 19 vai muito além do Cavern Club e de Penny Lane. Aqui estão alguns dos melhores museus da Grã-Bretanha, como os museus Slavery, Merseyside e World, assim como as históricas docas que movimentavam a riqueza da Inglaterra vitoriana. As docas da cidade estão listadas pela Unesco como Patrimônio da Humanidade desde 2004. Distância de Londres: 346 quilômetros.

É procedente assinalar que a informação foi facilitada pela Viagem e Turismo. Edição, Área Jornalística Oitravels.

InShot_20200727_095352131

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: