Alexânia, onde a tranquilidade faze parte da paisagem

A pequena Alexânia, cidade com pouco mais de 28 mil habitantes, apesar de constar no Mapa Turístico do Estado, ainda não é um destino muito procurado por muitos turistas goianos. Mas deveria ser. O município, que fica quase que no meio do caminho entre Goiânia e Brasília (está a 119 quilômetros de Goiânia e a quase 85 da Capital Federal) tem uma diversidade de atrativos, capazes de agradar brasilienses e goianos.

Antes da formação de Alexânia, ainda na primeira metade do século passado, o que havia nas proximidades era um pequeno distrito de grande beleza natural: Olhos D’Água. Em 1958, já com a Capital Federal em construção ali pertinho, Olhos D’Água foi emancipada e ganhou autonomia política e administrativa. Dois anos depois, o primeiro prefeito eleito, Alex Abdallah, loteou uma grande área de sua propriedade às margens da BR-060, que estava em construção, e transferiu a sede do município para o local, já com o nome de Alexânia.

Olhos D’Água perdeu a sede do município, mas não ficou órfã. O agora distrito de Alexânia é berço de muitos artesãos, que começaram a expor seus trabalhos nas portas de suas casas e em uma espécie de feirinha, que é um charme só. Impossível ir à Olhos D’Água e não levar para casa algumas (ou muitas) peças de artesanato.

Foto: Reprodução | Wikiloc

E tem beleza natural também. Claro que o distrito que tem água no nome tem que ter, pelo menos, um manancial para justificar. E a Cachoeira de Olhos D’água faz esse papel. Ela fica dentro de uma propriedade particular, mas pasmem… o dono não cobra entrada, só pede que as pessoas levem seu lixo e ajudem a preservar o local. São três quedas d’água, pequenas é verdade, se comparadas a outras cachoeiras de nosso estado, mas o poço tranquilo para o banho e a hidromassagem das quedas, são a combinação perfeita entre diversão e relaxamento.

O distrito tem ainda uma praça super simpática (onde acontece a feira de artesanato) e, como não poderia faltar, uma Igrejinha charmosa dedicada ao padroeiro, Santo Antônio. Isso sem falar nas pousadas e restaurantes rústicos, que servem comida caseira, que sem exageros, você precisa experimentar!

Foto: Reprodução | Wikiloc

Já para quem gosta de um pouco mais de aventura, a represa de Corumbá 4 é a opção. O local, que foi invadido por condomínios de casas de veraneio, é perfeito para a prática de esportes náuticos. O lago, da usina hidrelétrica que tem o mesmo nome, também é muito procurado pelos amantes da pesca.

É procedente assinalar que a informação foi facilitada pela Agência Assembleia de Notícias. Foto de Portada Grupo Itaú de Hotéis. Edição, Área Jornalística Oitravels.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: