O Templo Budista Chen Tien em Foz do Iguaçu

Foz do Iguaçu é uma cidade com cenários deslumbrantes e se apresenta como uma excelente opção para quem não dispensa o contato com a natureza. Além disso, há um lugar especial e que vale a sua visita: o Templo Budista Chen Tien.

Foto: Reprodução | Divulgação/Visit Iguassu

A cidade paranaense é formada por diversas etnias, e o legado de cada uma delas está espalhado por Foz. O Templo preserva a herança oriental da região, aliando a paz dos ensinamentos budistas e a beleza dos cenários locais.

A história do Templo

Localizado em uma região privilegiada, às margens do Rio Paraná, foi construído em um parque de 50 hectares (em 1996) pela comunidade chinesa de Foz do Iguaçu, que era guiada pelo mestre Tong Zhong. Por ser em um local alto, é possível ter uma visão de parte do centro da cidade e também da Ciudad Del Este, no Paraguai.

O Templo é o segundo maior da América Latina e abriga um importante centro de estudos e meditação budistas. Eles seguem a linhagem da Terra Pura (que seria o paraíso) e são devotos ao Buda Amithaba, o Buda da Luz Infinita.

Um fato que chama a atenção é a sua arquitetura, uma vez que foi construído com elementos bastante simples. A maioria dos templos budistas são construídos com o estilo arquitetônico Dzong, com estupas, pagodes e detalhes muito ricos, de diversas cores.

As principais atrações
Foto: Reprodução | Divulgação/Visit Iguassu

Os jardins bem cuidados são grande destaque, assim como a coleção de mais de 120 estátuas coloridas espalhadas por eles. Assim que você chega ao Templo, é recebido pelo Buda Sorridente (Buda MilaPusa) e seus 7 metros de altura.

Foto: Reprodução | Divulgação/Visit Iguassu

No centro da praça principal fica o Buda Amithaba, com 10 metros de altura — como já mencionamos, o Templo é dedicado à sua figura. O acesso à estátua não é permitido, porém, recomenda-se que se recite o seguinte mantra frente a ela: NA MO AMI TUO FO. A tradição diz que, assim, é possível eliminar seus sofrimentos, aflições e atrair riqueza, longevidade, saúde e harmonia.

Foto: Reprodução | Divulgação/Kids e Travel

Nessa mesma praça, encontra-se a entrada para o Santuário Ksitigarbha, um edifício de dois andares que é um espaço consagrado aos Budas e serve como residência para o mestre budista.

No interior do Santuário, há 18 estátuas de Arahants: termo designado para aqueles que atingiram um estado de iluminação. Por afastarem o mal, essas figuras são consideradas as guardiãs do templo budista e estão espalhadas pelo salão principal.

Foto: Reprodução | Divulgação/Visit Iguassu

Ao lado do edifício, está o Buda Shakyamuni — Sidarta Gautama, o jovem príncipe indiano que abandonou tudo o que tinha em busca da felicidade eterna e é considerado o grande mestre do budismo. Ele é representado em sua forma deitada, uma posição que indica o Nirvana.

No jardim, há ainda os quatro principais seres iluminados (boddhisatvas), apresentando as principais qualidades de um Buda:

  • Samantabhadra: representa a grande virtude (amor) e está sentado sobre um elefante;
Foto: Reprodução | Divulgação/Viajante Solo
  • Manjushri: sentado sobre um leão, representa a grande sabedoria;
Foto: Reprodução | Divulgação/O Blog de Foz
  • Ksitigarbha: do grande voto para salvar todos os seres;
  • Avalokiteshvara: mais conhecida por seu nome chinês Kwan Yin, representa a grande compaixão.
Foto: Reprodução | Divulgação/Viajante Solo

Simbolizando proteção, encontra-se também os Leões Fo (Foo) ou Leões de Buda (Rui Shi, em chinês). Esses dois guardiões estão sempre com os olhos bem abertos e ficam apoiados em uma esfera — são posicionados na entrada de tumbas e templos, pois espantam os maus espíritos.

Foto: Reprodução | Divulgação/Viajante Solo

Além de toda a beleza das grandes estátuas, há 108 delas que chamam bastante atenção com seus 2,5 de altura: são os Amitabha, alinhados em direção ao pôr do sol, cada um representando uma reencarnação de Buda na Terra. Suas mãos estão postas em gestos que simbolizam a meditação e as boas vindas.

As regras de visitação

Por ser um local religioso e dedicado à contemplação e à oração, independentemente de sua crença, respeite esse território sagrado para os budistas. Recomenda-se que o passeio, que dura cerca de uma hora, seja feito em silêncio.

Confira, a seguir, algumas exigências do Templo para curtir sua visita sem estresse:

  • Não subir nas plataformas;
  • Não tocar nas estátuas;
  • Não entrar com bicicletas, motos, patins e animais;
  • Não consumir bebidas alcoólicas;
  • Não fazer piqueniques pelos jardins;
  • Não fotografar o interior do Templo.

Se quiser levar lembrancinhas para casa, há uma loja — com mensagens budistas pintadas em suas paredes — de souvenires e artesanatos de todos os preços. Há também velas e papéis para colocar seus pedidos e material sobre budismo à venda.

A visitação no Santuário é permitida de terça a domingo, das 9:30 h às 16:30 h. A entrada é gratuita.

Como chegar ao Templo Budista

Por estar localizado longe do centro de Foz do Iguaçu, no bairro de Porto Belo, é preciso ficar atento às opções de transporte. Se for por conta própria, você pode ir de táxi ou de ônibus: é só pegar a linha 103 (Jardim das Flores – Porto Belo) no Terminal de Transporte Urbano e descer em um ponto que fica a poucos metros da entrada.

Agências de turismo oferecem pacotes (tanto para grupos quanto privativos) com city tour que incluem a visita ao Templo. São uma ótima opção para quem não é budista ou conhecedor da tradição.

Por ser um ponto turístico bastante conhecido, os cobradores e motoristas podem avisá-lo quando chegar lá. Para voltar do Templo, espere pelo ônibus no mesmo local em que desceu. Caso esteja com um carro particular, vá pela Avenida Tancredo Neves no sentido Itaipu e siga a sinalização.

O endereço do Templo é: Rua Josivalter Vila Nova, 99; telefone para contato: (45) 3524-5566.

Uma boa pedida é contratar os serviços do hotel em que está hospedado, já que é possível encontrar pacotes que têm boas tarifas, além de funcionários que estarão preparados para lhe passar todas as informações necessárias sobre os passeios.

O Templo Budista Chen Tien é uma excelente alternativa para conhecer um pouco mais sobre a influência asiática em Brasil. Além disso, é um ótimo local para relaxar e explorar as vistas espetaculares de Foz do Iguaçu em seus jardins após se aventurar pelas Cataratas do Iguaçu.

É procedente assinalar que a informação foi facilitada pela Del Rey Quality Hotel. Foto de Portada Divulgação/ Vou na Janela. Edição, Área Jornalística Oitravels.

Reservamo-nos o direito de corrigir eventuais erros de publicação deste material, Oitravels não é responsavel por material gráfico que não expresse claramente o copyright.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: