Visite Pamukkale, o castelo de algodão na Turquia

Quando falam que a natureza é perfeita, não duvide! O mundo é feito de paisagens incríveis, com detalhes que o melhor construtor não seria capaz de criar. Cenários que, pessoalmente, são exatamente iguais, talvez até mais bonitos, do que em fotos profissionais. É o caso de Pamukkale, o incrível castelo turco de algodão, especial para banhar, curar e encantar visitantes desde a época de Cleópatra.

Foto: Reprodução / Sia Tours

Verdade seja dita, a Turquia é um país maravilhoso, de cultura milenar e vistas avassaladoras. Saindo da histórica Istambul, pode-se ver o nascer do sol a bordo de um balão na Capadócia, visitar ruínas e banhar nas águas termais de um castelo de algodão.

Mais ainda, imaginar que aqueles mesmos caminhos já foram pisados por nomes que aprendemos nos livros de História. Nomes como Cleópatra, que tem sua própria piscina eternizada e aberta para os pobres plebeus, como nós.

Pamukkale, o feliz resultado da solidificação das cascatas de carbonato de cálcio, recebeu o merecido título de Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Ali, visitantes se banham em busca das águas famosas pelos poderes curativos e, de quebra, garantem um clique que tenta, humildemente, captar a beleza real do lugar.

Onde fica Pamukkale
Foto: Reprodução / Viajes Turquia

O conjunto de piscinas naturais de Pamukkale fica em Denizli, na Turquia, a 574 km de Istambul. Então não, não dá para fazer um simples bate e volta a partir da capital turca. Menos ainda uma passadinha antes de voar pelos céus da Capadócia, pois a terra das cavernas de Salve Jorge está a 633 km de lá. Aliás, até dá, mas a viagem é cansativa e, certamente, menos proveitosa.

Porém, ainda que a viagem seja longa, não dá para ir à Turquia sem visitar Pamukkale!

Como chegar a Pamukkale

Como todos os caminhos para a Turquia podem convergir à capital, as formas de chegar às piscinas são:

Avião: o aeroporto mais próximo é o Aeroporto Denizli – Cardak, a 65 km de distância. Há 3 voos diários da Turkish Airlines a partir de Istambul, além dos oferecidos pela AnadoluJet. Do aeroporto, você pode pegar um ônibus para Denizli ou Pamukkale. O Aeroporto Izmir Adnan Menderes fica distante 252 km de Pamukkale.

Ônibus: ônibus para Pamukkale / Denizli pode ser encontrado em quase todas as cidades da Turquia. Mas, o ônibus deixa o passageiro em Denizli para, depois, pegar o microônibus até Pamukkale

Dolmuş: na estação rodoviária de Denizli, pegue um dolmuş, um tipo de táxi que geralmente acomoda cerca de 10 pessoas.

A formação de Pamukkale
Foto: Reprodução / Rotas de Viagem

Pamukkale, em turco, significa “Castelo de Algodão” (Pamuk – algodão e kale – castelo). Chegando lá, percebe-se o porquê!

À primeira vista, o chão que cega de tão branco lembra uma grande geleira ou um enorme tapete de algodão. Mas ao chegar pertinho, vemos que todos aqueles terraços são feitos mesmo de calcário, contrastando com o azul das águas termais! Uma aparência surreal às montanhas que ficam a mais de 200 metros de altura.

Pamukkale é usada como spa desde o século II aC. As 17 piscinas são compostas por bacias minerais naturais formadas entre depósitos brilhantes de bicarbonato de cálcio. Aquele formato de algodão tem a sua origem no deslocamento de uma falha no vale do rio Menderes. À medida que a falha se deslocava, nascentes minerais muito quentes foram surgindo, até formar carbonato de cálcio e calcário, responsável pelo aspecto das piscinas.

Foto: Reprodução / Rotas de Viagem

Os depósitos brancos petrificados se destacam em contraste com as piscinas naturais de um azul brilhante, formadas em camadas, como se fosse de propósito. É realmente de tirar o fôlego!

Águas termais e impactos ambientais
Foto: Reprodução / Wikimedia

Como se já não bastasse a beleza, as piscinas de Pamukkale chegam a 35º C e, acredita-se, têm efeitos curativos. Por isso, eram consideradas um spa pelos romanos, ainda na Antiguidade, quando até Cleópatra se rendia a elas.

Até hoje, segundo os locais, as águas termais são capazes de curar vários tipos de doença, como problemas digestivos e de circulação.

Tantos atrativos fizeram com que uma explosão de hotéis chegasse à região na década de 60, colocando o complexo em risco. Felizmente, Pamukkale e as ruínas de Hierápolis foram listadas como Patrimônio da Humanidade pela Unesco, em 1988.

Consequentemente, os empreendimentos tiveram que ser demolidos. Para esconder os danos que já apareciam em virtude do turismo desenfreado, algumas piscinas artificiais foram construídas no topo da escada. Atualmente, as visitas se enquadram em um controle rígido para proteger o patrimônio.

O que fazer em Pamukkale

Você não precisa ficar horas e horas de molho nas águas quentinhas de Pamukkale, por mais tentador que seja! Mesmo porque o complexo fica próximo a um sítio arqueológico e uma “piscina sagrada”.

Bem ao lado das piscinas de Pamukkale está o sítio arqueológico de Hierápolis, cidade construída durante o Império Romano, no século II a.C.

Foto: Reprodução / Ada Vegas Travel

Cosmopolita, abrigava um Teatro Romano com capacidade para até 12 mil pessoas, cuja estrutura ainda pode ser vista. O nome “Hierápolis” significa “cidade sagrada” e a crença é de que tenha sido fundada pelo deus Apolo.

Além das ruínas bem conservadas do teatro, ainda dá para conhecer a Necrópole com várias tumbas e os famosos Banhos Públicos, tão característicos da Roma Antiga. Após sofrer vários terremotos, sobraram ruínas surpreendentemente bem conservadas.

Foto: Reprodução / Viator

Nas proximidades, também há um museu arqueológico para quem quiser aprender mais sobre a história da região. As ruínas de Hierápolis estão incluídas na taxa de inscrição para Pamukkale e são imperdíveis! Ah, e mesmo na região das piscinas, há um museu com alguns itens resgatados das ruínas.

Bom, além de Hierápolis, não dá para perder a chance de um mergulho na piscina da Cleópatra! A Antique Pool, ou Piscina Sagrade (Piscina de Cleópatra, para os íntimos) fica no mesmo complexo de Pamukkale. Reza a lenda que a estrutura foi construída a pedido da rainha egípcia, mas não há provas concretas sobre isso. O fato é que a experiência de nadar entre as palmeiras é ótima!

Foto: Reprodução / Freepik

As águas, também ricas em minerais, chegam à temperatura de 35º C, ou seja, bem quente. Por isso, não é permitido permanecer mais de duas horas dentro delas, caso contrário, há risco de mal estar.

Mais atividades em Pamukkale

Faça uma visita às ruínas da antiga cidade de Afrodísias, um dos sítios romanos mais bem preservados no sudeste do Egeu. Você pode alugar uma van em Denizli para chegar lá.

Se tiver tempo, dê uma passeada por Denizli e conheça seu mercado animado.

A região também tem seu passeio de balão de ar quente. O voo sobre Pamukkale sai de manhã cedo, permitindo experimentar o nascer do sol sobre os travertinos brancos acima de 3.000 pés (914,4 m).

Karahayit, a fonte vermelha, fica a 5 minutos de Pamukkale. Embora menor que o castelo de algodão, vale a pena experimentar seus banhos de lama.

Kaklik são uma pequena versão de Pamukkale, mas sob forma de cavernas subterrâneas. Estão a cerca de 30 minutos de Pamukkale.

Se possível, comece o passeio pelo portão inferior, caminho com menos turistas e que permite a vista das encostas.

Quando visitar Pamukkale

Pamukkale é a atração mais popular da Turquia, por isso, prepare-se: as piscinas estarão cheias, especialmente na alta temporada! Se quiser evitar, tente visitar o complexo entre agosto e o início de setembro. Nesse período, também vai escapar do calor escaldante e das chuvas que tornam a caminhada sobre o calcário um tanto sofridas. Ah, e procure ficar no complexo até o final da tarde, quando o pôr do sol reserva um espetáculo à parte.

Dicas para visitar Pamukkale

Não é permitido entrar calçado nas piscinas para minimizar os danos nas estruturas. Você pode deixar seus sapatos no deck que fica antes das formações.

Como andará sem calçados, cuidado para não escorregar nas piscinas ou machucar os pés no calcário afiado.

Algumas partes têm cordas cercando, as quais não é permitido ultrapassar.

Se viajar para o destino no verão, tente chegar ao complexo assim que abrir, garantindo seu lugar nas piscinas.

Não há lugar para guardar seus pertences nas piscinas, então você terá que carregar o que estiver com você. Por isso, traga apenas o essencial em uma bolsa fácil de carregar.

Óculos de sol, protetor solar, água e chinelos são itens obrigatórios! Se quiser dar um mergulho em uma das piscinas, traga também uma roupa de banho.

É procedente assinalar que a informação foi facilitada pela Rotas de Viagem. Foto de Portada Divulgação/ Aruz Turizm. Edição, Área Jornalística Oitravels.

Reservamo-nos o direito de corrigir eventuais erros de publicação deste material, Oitravels não é responsável por material gráfico que não expresse claramente o copyright.

InShot_20220512_043520252

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: